terça-feira, outubro 31, 2006

Acabado o processo eleitoral, com a vitória do senador Sérgio Cabral no Estado do Rio, é chegada a hora de se pensar em governar e de legislar em favor da nossa terra.
Este é um momento novo e histórico. Nunca, em tempo algum, como agora, as questões envolvendo o meio ambiente estão mexendo com corações e mentes. É hora de se pensar na Cidade Maravilhosa, no Estado do Rio, no Brasil e no Planeta Terra.
Um estudo feito a pedido do governo da Grã-Bretanha apresenta resultados assustadores: as mudanças climáticas provocadas pelo aquecimento global reduzirão a economia do mundo em 20% nos próximos 50 anos!
Há algum tempo, comentei aqui o relatório do Fundo Mundial para a Natureza, WWF, que apresentou dados estarrecedores, como a destruição acelerada de recursos naturais para atender ao consumo humano. Hoje, só conseguimos repor 25% do que gastamos.
É hora de trabalhar, e muito, em favor do meio ambiente!

publicado por Jotha R em 31.10.06 |



sexta-feira, outubro 27, 2006

Domingo, dia 29, será encerrado o atual processo eleitoral. Vamos às urnas, no segundo turno, eleger ou reeleger o presidente da República e o (a) governador (a).
Todos conhecem a minha posição, manifestada publicamente, inclusive neste sítio: votarei em Sergio Cabral Filho, para governador do Estado do Rio de Janeiro.
Não deixe de votar, de exercer este direito de cidadania. A eleição desempenha um papel fundamental na afirmação dos princípios democráticos que são a base da vida das nações.
É através dela que o povo legitima, ou seja, adere a uma política de governo.

publicado por Jotha R em 27.10.06 |



terça-feira, outubro 24, 2006

Relatório do Fundo Mundial para a Natureza, conhecido pela sigla WWF, em inglês, revela dados estarrecedores, como a destruição acelerada de recursos naturais para atender ao consumo humano. Hoje, só conseguimos repor 25% do que gastamos.
Segundo o WWF, se a humanidade continuar nesse ritmo, em 2050 serão necessárias duas Terras para atender às demandas da população. Ou mudamos de atitude ou o mundo dos nossos filhos e netos entrará num colapso.

publicado por Jotha R em 24.10.06 |



segunda-feira, outubro 23, 2006

Domingo, o candidato a governador Sérgio Cabral, recebeu aplausos e incentivos na jornada cívico-eleitoral que certamente o levará à vitória, no segundo turno, no próximo dia 29. Caminhamos juntos, quando distribui, com minha equipe, uma edição do informativo Defenda-se, de apoio a Sergio Cabral.
Sergio reiterou diversas vezes que governará com uma ampla frente partidária e tendo como objetivo fundamental o reerguimento do Estado do Rio de Janeiro. A geração de empregos será prioritária, ao lado de uma melhoria substancial das condições de saúde, de educação pública, de segurança pública e da infra-estrutura.
Vai firme, Sérgio!

publicado por Jotha R em 23.10.06 |



Sob o título acima, o movimento internacional Greenpeace divulgou mensagem sobre as mudanças que todos temos visto no clima do Rio de Janeiro, do Brasil e do mundo. Leiam.
Enchentes, secas e incêndios afetam países nos cinco continentes. Tormentas e furacões ocorrem em diversos lugares do mundo. Ascalotas polares estão derretendo e, como conseqüência, o nível do mar está aumentando, colocando em risco as zonas costeiras.
O planeta pede socorro. No Brasil, a situação não é diferente. A seca ameaça a Amazônia, a desertificação avança no Nordeste e a agricultura da região Sul sofre com a falta de água. Esses impactos estão acontecendo agora!
Nosso país não está livre dos efeitos do aquecimento global. Precisamos agir! O Brasil é o quarto maior poluidor mundial da atmosfera. Além das indústrias e dos veículos, a principal fonte de poluição é o desmatamento da Amazônia. Cerca de 75% das emissões brasileiras de gás carbônico são resultado da destruição da floresta.
Vamos fazer nossa parte! O mundo já fala em adaptação para sobrevivermos em um clima mais quente. Precisamos agir hoje!Podemos e devemos evitar desastres ainda maiores!
Vamos defender o planeta, amigos?

publicado por Jotha R em 23.10.06 |



sexta-feira, outubro 20, 2006

Em seu giro pelo mundo, na feliz cruzada em favor da causa do meio ambiente, o ex-vice-presidente dos Estados Unidos, Al Gore, esteve no Brasil e disse que é chegada a hora de todos acordarem para a realidade: o aquecimento da Terra já apresenta efeitos destruidores de grande alcance.
Derrotado no ano 2000 por George Bush, na eleição para a Presidência da República americana, em controvertida e ainda discutida apuração de votos, Al Gore deu a volta por cima. Tornou-se legenda mundial em favor da luta ecológica.
Brevemente nós também o veremos nas telas dos cinemas, com o filme Uma verdade inconveniente. No filme, Al Gore fala com propriedade, e dando muitas informações, do aquecimento global.
Sobre a Amazônia brasileira, o ex-vice-presidente e cruzado da causa ecológica mundial, disse taxativamente que ela é um assunto exclusivamente nosso.

publicado por Jotha R em 20.10.06 |



terça-feira, outubro 10, 2006

O jornalista Argemiro Ferreira, radicado há muitos anos nos Estados Unidos, de onde escreve uma coluna diária na ?Tribuna da Imprensa?, publicou um inquietante texto, na edição de quarta-feira, dia 4. Diz ele que há uma grave ameaça à soberania brasileira na Amazônia. Afirma Argemiro Ferreira que o ministro do Meio Ambiente da Grã-Bretanha, David Miliband tem o apoio do premier Tony Blair para um plano oculto de privatizá-la e internacionalizá-la. ?Agora não se trata de mapa falso da Amazônia em livro escolar inexistente. Agora a ameaça é real? ? escreve Argemiro Ferreira.
E segue Argemiro Ferreira: ?antes de Blair, como é sabido, a premier Margaret Thatcher, que desencadeara a fúria da privataria na Grã-Bretanha, chegou a declarar sobre a dívida externa do Brasil e outros países em desenvolvimento: eles têm de pagar de qualquer jeito. Se não tiverem dinheiro, que vendam o que tiverem - terras, bens, tudo!" Thatcher saiu, mas Blair, que enfiou a "terceira via" na cabeça vazia de FHC, retoma a idéia.?
Argemiro Ferreira denuncia a presença e o apoio de partidos políticos brasileiros nas pretensões de David Miliband: ?o pior é que as prometidas privatização e internacionalização da Amazônia soam quase como desdobramento natural do programa do PSDB, com a política externa anunciada pelo candidato Geraldo Alckmin - a da submissão aos interesses dos países ricos, com o abandono da atual política externa independente. Até porque a retomada das privatizações, interrompidas pelo governo Lula, é promessa formal do tucanato.
O jornalista brasileiro afirma que uma reportagem sobre o assunto foi publicada na edição do dia 1º de outubro, do "Daily Telegraph", um dos maiores jornais britânicos, pelo próprio editor político Patrick Hennessy. Ele expõe o "esquema extraordinário pelo qual a floresta amazônica se tornará um "trust" internacional e suas árvores serão vendidas a indivíduos e grupos". Acrescenta: "Os planos para a "privatização" em larga escala foram levados à reunião do México pelo ministro do Meio Ambiente, David Miliband".
Patrick Hennessy enfatiza que "o esquema é apoiado por Blair e se destina a proteger as plantas e a vida selvagem contra o desmatamento, pois 13 milhões de hectares das florestas do mundo são perdidos anualmente com o desmatamento". Não é ação isolada de Londres: reunião dos países ricos (G8) em 2005 encarregara a Grã-Bretanha de "liderar os programas de mudança climática".

A visão do Greenpeace

Agora, o outro lado da moeda. A visão do Movimento Internacional Greenpeace. Segundo a ONG, a Amazônia não é apenas a maior floresta tropical do mundo, mas um estoque de biodiversidade sem igual em todo o planeta, com várias espécies animais e vegetais ainda desconhecidas. É também o local escolhido por 20 milhões de pessoas para viver. Portanto, qualquer solução para a Amazônia precisa passar necessariamente pela busca por soluções economicamente e ecologicamente viáveis.
Diz mais o Greenpeace: ?a taxa anual de desmatamento na Amazônia Legal no período agosto/2003-agosto/2004 - alarmantes 26.130 km2 ? foi a segunda maior da história e equivale a mais de 8,6 mil campos de futebol por dia. De acordo com estimativas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a destruição em apenas um ano da floresta com a maior biodiversidade do planeta foi maior do que a área total do Estado de Sergipe e pouco menor do que a Bélgica. Nos últimos três anos, os índices de desmatamento têm se mantido acima de 23 mil km2, número superior aos da época da ditadura militar.?
Dizemos nós, agora: a soberania brasileira sobre a Amazônia é indiscutível. Lutaremos sempre por ela, em todos os foros possíveis. Concordamos também que a proteção da floresta e a busca por soluções para o desenvolvimento da região é uma prioridade global do Greenpeace e de outras entidades amigas e protetoras do meio ambiente.

publicado por Jotha R em 10.10.06 |




Sobre este Blog
Blog do Deputado Estadual. Opine, vamos fazer o meio ambiente ser preservado
 
 
Últimos Posts
Arquivos
 
Amazônia Azul

faça o download do PDF



Powered by Blogger