Andre Lazaroni

quarta-feira, junho 20, 2012



É triste constatar que o Brasil é um dos primeiros no ranking dos paises que mais desperdiçam alimentos no mundo. Nossos desperdícios totais são equivalentes a 50% do PIB. Metade dos alimentos produzidos é jogada fora, ou seja, jogamos fora mais do que comemos. E com esta quantidade desperdiçada, daria para alimentar cerca de 50 milhões de pessoas. É uma tragédia social, econômica e ambiental.
Só nas feiras, toneladas e toneladas de alimentos vão para o lixo. Frutas, verduras e legumes simplesmente desaparecem. Em números, 22% das laranjas, morangos e bananas são desperdiçados, 30% só de melancias, 25% de abacaxis e mangas, 26% de abacates e 21% dos mamões. O desperdício de frutas causa o prejuízo de pelo menos 2,02 bilhões de dólares para o Brasil por ano. A grande questão é que o desperdício começa na colheita destes alimentos, onde 10% do que é produzido é perdido, 30% só no transporte e acondicionamento, 50% no comércio e nas nossas casas de 10% a 20% é desperdiçado.
É desagradável constatar este problema num país que, infelizmente, sofre com a miséria em diversos municípios e estados, com 13,9 milhões de pessoas passando fome. Todo esse alimento sustentaria inúmeras famílias de comunidades do Rio de Janeiro por anos. Com base nos números, daria para alimentar por 1 mês todos os famintos das América Latina e a população do Líbano. Um terço de tudo o que compramos vai para o lixo. A comida que jogamos fora diariamente daria para 1/5 da população tomar café, almoçar e jantar.
Reaproveitar restos de alimentos é uma questão cultural. Se não a temos em nossa sociedade, que sejamos capazes de inserir. Temos que nos conscientizar que este desperdício gera uma série de desperdícios desnecessários, como o de água, energia, adubo, transporte, combustível, tempo, trabalho, mão de obra.
O alimento que vai para o lixo gera o gás metano, vinte vezes mais nocivo ao meio ambiente que o gás carbônico. É um impacto não só social, como ambiental.
É claro que isso não acontece apenas em nossas casas, acontece no comércio e atinge as empresas de serviços alimentícios. E cada um tem que fazer a sua parte. Evitar o desperdício de alimentos, além dos aspectos sócioambientais, é uma questão de consciência. Usar a data de validade dos alimentos como critério pode ajudar. É preciso estar atento aos rótulos, para saber a procedência, composição e principalmente, a data de validade. Assim será possível evitar a compra de produtos que certamente não serão consumidos antes do vencimento e terão como destino o lixo.
Fazer uma lista de compras antes de realizar as compras no supermercado, faz com que nós, consumidores, optemos por coisas realmente necessárias. Colocar no prato somente aquilo que vai comer é outro passo importante. Esse mesmo cuidado tido na hora de montar o prato deve ser considerado no momento de preparar a comida. Reaproveitar partes esquecidas dos alimentos é essencial para ter uma alimentação consciente. Estas são algumas das medidas que podem transformar a situação do nosso país. Estamos cansados de tanta desigualdade. Ou acabamos com o desperdício, ou o desperdício acabará conosco.

publicado por André Lazaroni em 20.6.12



0 Comments:

Postar um comentário



Links to this post:

Criar um link

<< Voltar


Sobre este Blog
Blog do Deputado Estadual. Opine, vamos fazer o meio ambiente ser preservado
 
 
Últimos Posts
Arquivos
 
Amazônia Azul

faça o download do PDF



Powered by Blogger