sexta-feira, março 23, 2007

E m 1897, o alemão Rudolf Diesel, utilizou óleo de amendoim no seu motor. E afirmou que "Os paises que utilizarem óleos vegetais com meu motor, obterão desenvolvimento sustentável". O engenheiro mecânico Thomas Fendel, do Paraná, abraçou o projeto de Rudolf . E, há tempos, tentava regularizar junto ao DETRAN a alteração de uma das características de seu veículo automotor. Com pequenas adaptações no motor a diesel, seu carro passou a funcionar movido a OVN - óleo vegetal natural (a mais eficiente espécie do tão falado biocombustível). O DETRAN – alegando incapacidade técnica – recusava-se a licenciar seu veículo. Fendel não teve alternativa: requereu ao Poder Judiciário de vários estados autorização para adequar seus veículos ao uso do biocombustível OVN. Hoje, Fendel, por força de uma medida concedida, tem o primeiro veículo movido a OVN - óleo vegetal natural – regularizado junto ao DETRAN no Brasil.
Não é brincadeira: o carro de Fendel se movimenta, roda pelas ruas e estradas com o mesmo óleo de cozinha com que se fritam batatas, ovos, peixe... inclusive com óleo usado de fritura, filtrado. O momento é propício para divulgar esta boa nova porque, embora as discussões sobre os (limpos) combustíveis substitutivos da (suja) gasolina (fóssil) estejam na boca do povo, os nossos governantes só falam e investem no biodiesel que é uma mistura que contém óleo vegetal modificado, desnecessariamente mais caro e oligopolitizado. Chegou a hora de o Brasil também falar e investir no uso de óleo vegetal puro pois existem vários exemplos de experiências bem sucedidas.

publicado por Jotha R em 23.3.07 |



quarta-feira, março 07, 2007

Qualquer pessoa poderá conservar em casa e na temperatura ambiente seu DNA purificado e desidratado em um tubo de cristal de cerca de 10 centímetros , sem necessidade de arcar com os custos que representam o armazenamento em um banco particular para este tipo de material. O novo sistema, divulgado nesta quinta-feira (1º) em entrevista coletiva na Espanha, surgiu graças ao acordo de colaboração entre o laboratório espanhol Sistemas Genômicos e a Clínica Quirón de Valência, que será pioneira na implementação do serviço, com custo aproximado US$ 262.
Tanto os responsáveis pela clínica como pelo laboratório destacaram que o DNA contém "grande quantidade de informação médica valiosa" e que é importante ter a cada dia "mais dados de nosso sistema hereditário". Concretamente se referiram à utilidade do DNA nos estudos das doenças hereditárias (como alguns tipos de câncer), em testes de paternidade, na identificação de vítimas de grandes catástrofes e de pessoas desaparecidas. As pessoas que queiram obter seu DNA para guardá-lo em sua casa deverão colher sangue. Essa etapa é realizada no hospital e depois, já nos laboratórios, a amostra é processada "de maneira exaustiva para livrá-la de qualquer contaminação e secá-la". A amostra é colocada em um tubo, adequadamente lacrado e identificado com um código-chave que ficará armazenado em um banco de dados para evitar uma possível "utilização fraudulenta". O que pensa disso. Participe. Dê sua opinião.

publicado por Jotha R em 7.3.07 |




Sobre este Blog
Blog do Deputado Estadual. Opine, vamos fazer o meio ambiente ser preservado
 
 
Últimos Posts
Arquivos
 
Amazônia Azul

faça o download do PDF



Powered by Blogger