sexta-feira, maio 04, 2007

Uma substância contida na maconha pode ser utilizada no tratamento da esquizofrenia, com a vantagem de provocar menos efeitos secundários que as drogas antipsicóticas existentes atualmente, segundo um novo estudo.
Embora a maconha possa produzir sintomas psicóticos, os cientistas acham que eles são causados principalmente por um de seus componentes. Outro, pelo contrário, amortece os seus efeitos e tem potencial terapêutico.
A descoberta será anunciada nesta terça-feira em uma conferência internacional sobre a droga e a doença mental, em Londres, segundo o jornal "The Times". O estudo pode explicar o aumento registrado dos casos de psicoses e esquizofrenia devido ao consumo do entorpecente.
Os níveis de tetrahidrocanabidiol (THC), principal princípio ativo da planta, que pode produzir psicoses, foram altos nos pacientes. Já o canabidiol (CBD), que, pelo contrário, tem efeitos benéficos, foi pouco encontrado. Isto pode significar que consumidores da droga estão sendo expostos a doses mais elevadas do componente nocivo e menos do outro.
"Na ´cannabis´ podem haver bons e maus compostos. O mau é o THC. Mas há estudos que indicam que o CBD pode prevenir os sintomas psicóticos, como mostra nosso próprio estudo", afirma Markus Leweke, da universidade alemã de Colônia.
Leweke, que apresenta seu relatório no Instituto de Psiquiatria de Londres, estudou o efeito do CBD em 42 pacientes com esquizofrenia aguda. Um grupo recebeu CBD, enquanto outro foi tratado com um antipsicótico de referência, o amisulpride. Após o tratamento, os dois grupos mostraram menos sintomas. Mas o primeiro experimentou também menos efeitos colaterais. O amisulpride pode causar aumento de peso, disfunção sexual e problemas hepáticos.
Ainda não há estatísticas oficiais, mas cada vez mais provas indicam que a maconha pode induzir psicoses e esquizofrenia. Segundo os cientistas, há evidências de que um número crescente de jovens desenvolve esquizofrenia em conseqüência do consumo da droga.
Dois trabalhos apresentados à conferência trazem novas provas da vinculação entre THC e psicoses. Philip McGuire e Zerrin Atakan, do Instituto de Psiquiatria, utilizaram imagens de ressonância magnética funcional para escanear o cérebro dos pacientes que receberam THC.
Os cientistas descobriram uma redução da atividade numa área do cérebro onde se inibem normalmente os comportamentos inapropriados. Assim, os pacientes ficavam mais paranóicos. Outro estudo, de Deepak Cyril D´ Souza, da Universidade de Yale (EUA), chegou à conclusão de que o THC piorou os sintomas dos esquizofrênicos. (Fonte: EFE / Estadao.com.br)

publicado por Jotha R em 4.5.07 |




Sobre este Blog
Blog do Deputado Estadual. Opine, vamos fazer o meio ambiente ser preservado
 
 
Últimos Posts
Arquivos
 
Amazônia Azul

faça o download do PDF



Powered by Blogger