Andre Lazaroni

sexta-feira, dezembro 17, 2010


Mais um passo à frente na sustentabilidade! As florestas brasileiras terão uma atenção a mais a partir de agora. O governo federal vai começar a inventariar a qualidade, quantidade e as regiões florestais em todos os estados do país, e os dados atualizados servirão como informações precisas para a elaboração de políticas públicas de uso e conservação dos recursos naturais.

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, e o diretor-geral do Serviço Florestal Brasileiro, Antônio Carlos Hummel, anunciaram ontem (16/12), no Jardim Botânico de Brasília, o início das atividades para a realização do Inventário Florestal Nacional.

A iniciativa vai levantar dados que vão subsidiar também as ações do Brasil em fóruns internacionais, em especial nos eventos sobre mudanças climáticas e conservação da biodiversidade. A reportagem é de Carine Correa, da Ascom do MMA. Durante o evento, uma equipe da Universidade de Brasília (UnB) fez uma demonstração da medição de uma área do Jardim Botânico.

A UnB será parceira do Serviço Florestal no levantamento de informações de 67 pontos amostrais do Distrito Federal. De acordo com a ministra Izabella Teixeira, o inventário será um instrumento de base técnica científica que fornecerá dados precisos nos processos de negociação e análise para um planejamento ambiental adequado e eficiente.

Afirmou ela: “a sociedade brasileira não tem informação suficiente sobre as florestas do país, e esse trabalho vai subsidiar também o debate sobre conservação da biodiversidade e mudanças climáticas. Com isso, poderemos convencer tomadores de decisão de diferentes setores a disponibilizar recursos permanentes para as florestas, entre outras medidas”.

O Inventário Florestal Nacional contará com cerca de 20 mil pontos amostrais distribuídos por todo o Brasil, que estarão localizados a 20 quilômetros uns dos outros. Em cada local, equipes buscarão informações como número, altura, diâmetro e espécies de árvores, tipo de solo, estoque de carbono e biomassa. Também será feito um levantamento socioambiental para conhecer a relação das populações locais com a floresta.

Para o diretor do Jardim Botânico de Brasília, Antônio Carlos Hummel, esta será uma oportunidade única de mostrar o real estado das florestas nacionais. Ele ressaltou que, apesar de já haver um monitoramento via satélite, o trabalho de campo bem planejado e com metodologia integrada entre os estados da Federação permitirá que haja dados pertinentes. Assim se terá uma atuação mais consistente no que se refere à conservação destes recursos naturais.

As florestas brasileiras ocupam 516 milhões de hectares, cerca de 60% das áreas do país, mas ainda não existem informações amplas e sistematizadas sobre esse patrimônio natural. O Inventário Florestal Nacional será o marco zero deste levantamento e servirá como referência para analisar mudanças na distribuição e composição das florestas e na relação das populações que habitam nestas regiões.

As equipes responsáveis pela coleta de dados vão visitar todas as regiões e estados e verificar também aspectos como a condição fitossanitária (saúde) das árvores, quantidade de matéria orgânica morta e vestígios de exploração florestal. O Amazonas terá o maior número de pontos amostrais (3.906), e o estado de Sergipe o menor (55).

Hoje, o Serviço Florestal vai promover o 1º Encontro do Sistema Nacional de Informações Florestais no Centro Nacional de Apoio ao Manejo Florestal (Cenaflor). Serão lançados ainda o Portal Nacional da Gestão Florestal e o livro de bolso Florestas do Brasil em Resumo 2010, e haverá a apresentação do status do Sistema Nacional de Informações Florestais.

publicado por André Lazaroni em 17.12.10



0 Comments:

Postar um comentário



Links to this post:

Criar um link

<< Voltar


Sobre este Blog
Blog do Deputado Estadual. Opine, vamos fazer o meio ambiente ser preservado
 
 
Últimos Posts
Arquivos
 
Amazônia Azul

faça o download do PDF



Powered by Blogger